Análise KEYD X INTZ Jogo 1 (CBLOL 2018 – 2ª ETAPA)

Análise do jogo 1 entre Keyd x Intz

Olá pessoal, para quem não me conhece eu sou o Zero, e hoje irei fazer uma análise completa do primeiro jogo do confronto entre Keyd e Intz pela segunda semana de fase de pontos do CBLOL.

Para começar, vamos falar do campeões!

Draft

Campeões escolhidos por ambos os lados

Por parte do time da INTZ , que está no lado vermelho, vimos uma ótima utilização do último pick, onde eles já tinham uma certa noção de onde cada campeão inimigo iria. Isso porque os campeões da KEYD apenas a Camille poderia ir na selva e Mordekaiser em geral é mais escolhido na parte de baixo do mapa, como meio ou “atirador”, então eles tinham praticamente certeza que o Darius iria no topo. Sendo assim, pickam um grande counter do Darius, o Jayce, e rotacionam seu pick de Renekton para a rota de baixo.

Assim, vemos que a INTZ tem um começo de jogo extremamente forte, pressão na maior parte do tempo no meio e no topo e no geral campeões voltados ao early game (Jayce, Renekton). E, além disso, com uma forte possibilidade de engage e criação de jogadas (Olaf + Lulu, Alistar).

Já por parte da KEYD, vemos uma combinação de campeões com um início de jogo mais lento, mas com spikes de 1 item/mid game extramemente fortes (Irelia, Camille, Darius). Sendo assim, a aposta da  KEYD para o início do jogo foi o Darius do Yang, mas o mesmo foi fortemente counterado já nos picks.

Portanto, dificilmente veremos criações e agressivas da Keyd no início deste jogo, isso porque os mesmo irão sofrer forte pressão em duas de suas três rotas (Topo e Meio). Além do matchup da selva, que ficou favorável ao Olaf no início do jogo.

Assim, podemos perceber que a INTZ leva uma vantagem já nas fase de draft, onde tem um plano de jogo bem claro: snowballar sua vantagem de começo (uma composição quase que completamente voltada ao early game) e comprar seus spikes antes de seus adversários, assim levando torres e objetivos rapidamente sem prolongar a partida.

Assim, consequentemente, resta a KEYD  respeitar o início de jogo do seu adversário, givar (deixar) o necessário, esperar os erros da INTZ para criar alguma ação sem sofrer um grande snowball e esperar seus picos de poder.

Nível 1

Podemos ver  que aos 1:00 de jogo o Renekton e o Jayce wardam o azul e o lobo do time da Keyd após um early invade. Isso dá a eles uma grande vantagem por poderem saber onde o Revolta começará e também por saberem seu “tracking” (caminho que fará na jungle). Ou seja, irão ter uma boa noção de onde ele estará pelo mapa, pois as sentinelas colocadas ao 1:00 durarão até 2:30, forçando o mesmo a jogar pela sua parte de baixo do mapa até as sentinelas acabarem.

Early Game

Este foi o primeiro grande erro da Keyd na partida, Revolta tenta um gank no meio no nível 2, mas erra seu E+FLASH. Entretanto, as perdas da Keyd vão muito além de seu Flash, com isso Revolta revela que tem 8 de farm, ou seja, apenas farmou 2 campos, o vermelho da parte de baixo e o aronguejo (onde a INTZ tinha visão de que o mesmo estava lá).

Assim, fica extremamente fácil saber qual o próximo campo do Revolta, já que as próprias mecânicas da Camille dificultam a execução das galinhas no começo do jogo. Ela não tem dano em área e perde muita vida, mesmo motivo pelo qual não consegue fazer os Krugs, obrigando-a farmar a parte de cima da jungle.

Quando chega para farmar seus lobos, dá de cara com o Olaf do Shini, que está com 2 campos a mais e um nível na frente. Sem flash, Revolta é obrigado a fugir e perder sua selva na parte de cima, o que coloca Shini em uma vantagem absurda na selva em experiencia e timing. Assim, Revolta consegue apenas farmar 3 campos de sua parte de baixo, enquanto Shini tem todo a sua selva e os 3 campos da parte de cima da selva de Revolta.

Na primeira volta de Revolta, Shini já tem praticamente 2 níveis a sua frente e quase o dobro de farm.

Esse tipo de vantagem é exatamente o que a INTZ planejou em seu draft, com 2 lanes de pressão na parte de cima fica extremamente fácil para o Shini invadir a selva do Revolta e começar o snowball de sua equipe.

Pela facilidade de criação de jogadas por parte da INTZ e pelo forte snowball criado nos primeiros 3 níveis, Revolta deixa de executar seus campo para dar cover aos seus laners. Enquanto isso, o Olaf do Shini continua a farmar e assim o Shini abre uma vantagem de 24 de farm (em média 6 campos) e 2 níveis à frente aos 6 minutos de jogo.

Com tamanha vantagem o padrão seria Shini tentar criar ganks pelo mapas e procurar o 1v1 contra Revolta, pois estava basicamente no mesmo level dos laners. Assim, um counter gank de Revolta nesse momento de jogo seria quase que um suicídio pelo tamanho da vantagem imposta.

>>> Veja: Entenda o que aconteceu com a Infinity Edge e como isso mudou o jogo!!!

Todavia, após uma tentativa falha de gank na toplane, Shini decide que seu próximo destino é a botlane. Mas, antes disso invade a selva de Revolta pra roubar suas galinhas, deixando assim a parte de baixo “vazia”. Dando certeza ao time da INTZ, desta forma, de que o Revolta não iria dar nenhum tipo de counter gank.

Primeiramente o Dive parece ser extremamente benéfico. O time da INTZ aumenta sua vantagem ainda mais e isso abre possibilidade de aceleração, Camille está dando B no topo e há visão da Irelia no mid;

Mas os problemas chegam quando a INTZ  confia em seu poder para também levar a primeira torre. Neste momento a Camille já está saindo da base para o Bot, o Galio já renasceu, pois no inicio do jogo os tempos de morte são muito baixos e a Irelia consegue avançar sua wave na rota do meio, porque o Envy não pode avançar a lane sem saber a localização da Camille e o com Olaf à mostra no mapa.

Sem visão da vinda de Irelia e acreditando que a Camille estaria topside, a INTZ decide levar a torre,  mesmo sabendo que o TP do Darius estava UP, pois provavelmente acreditavam que poderiam lutar em um 4v3 contra o time da Keyd.

Nessa imagem já podemos identificar a resposta da KEYD , que confia em sua luta e sabe que todas as summoners dos 3 jogadores da INTZ estão em tempo de recarga (e seus ultimates também).

>>> Veja: Entenda o novo Meta dos Atiradores!

Yang e Tockers seguram o time da INTZ, que tenta comprar a briga, por muito tempo pois a capacidade de cura do Darius no começo do jogo é tão absurda quanto seu dano. Com isso, o resto do time da KEYD consegue responder e o 4v3 premeditado pela INTZ e vira um 4v4 onde os jogadores da INTZ basicamente não tem nenhuma spell. No fim, conseguem duas eliminações, sendo uma na mão da Irelia do Tockers e a outra na mão do Darius do Yang (os campeões que mais precisam de ouro para spikar rápido da composição).

Podemos ver que a diferença de ouro é basicamente nula neste momento.

O plano de jogo da INTZ se tornou extremamente díficil de ser executado após essa jogada, pois agora os spikes do time da KEYD chegariam mais cedo e eles não conseguiriam ganhar lutar apenas por estarem na frente em ouro.

Podemos ver a recuperação da KEYD nos itens, a irelia de Tockers já chega em seu primeiro spike e vira a pressão na rota do meio.

Na luta seguinte pelo Arauto, mesmo dando um bom engage na Irelia do Tockers e tendo um ótimo começo de luta no geral, os campeões da INTZ estavam setados perfeitamente para a chegada do Darius. Isso porque o campeão é extremamente forte contra composições com muito meeles e, exatamente por esse motivo, o seu dano quase imparável ganha a luta para a KEYD que, novamente, segura a bola de neve e consegue acumular mais recursos para seus picos de poder.

MID GAME

Em poucas palavras, essa luta foi a que acabou o jogo. Com um estranho engage por parte da INTZ, talvez causado por afobação (?), a KEYD consegue responder rapidamente pois tinham total controle do rio na parte de cima. E temos também outro grande fator, IRELIA DARIUS já contavam com seu grande primeiro item, a Trindade. Estavam no seu primeiro pico de poder contra uma composição que, teoricamente, deveria evitar lutar nesse momento..

Com essa luta, INTZ  perde 4 membros e o Darius fica 4/0/2. O principal campeão da KEYD  consegue o snowball que precisava para virar o ritmo da partida. Assim podemos afirmar que após essa jogada as chances de vitória da INTZ  reduziram ao mínimo possível, até pelo simples scale (crescimento) das duas composições. A simples estratégia de deixar o tempo passar seria mais benéfica a KEYD.

Rapidamente o time da KEYD  reconhece sua vantagem na partida e decide engajar uma luta no mid, que é facilmente ganha sem nenhuma perda e o Barão é feito rapidamente.

Com o Barão, a KEYD aplica pressão e leva praticamente todas as torres que estão fora da base. Assim, após o fim do buff, continuam pressionando com a clássica estratégia 1-3-1 ( 1 jogador no topo, 3 no meio e 1 no bot ) até o respawn do próximo Barão.

Neste ponto não há maneiras da INTZ  criar qualquer tipo de oportunidade, pois é a KEYD  que dispara no ouro. E, como dito antes, a composição da INTZ  é extremamente forte no early game, mas perde força no decorrer do jogo, enquanto a da KEYD, por outro lado, tem um mid game extremamente poderoso. Assim, a única opção da INTZ  é esperar algum tipo de erro de posicionamento dos guerreiros para voltarem ao jogo.

INTZ  reconhece que se a KEYD  conseguir o próximo barão é certamente impossível segurar o jogo, então decide buscar algum pickoff ou luta desesperada, que notavelmente dá errado pela vantagem de itens da KEYD.

Assim, com 3 jogadores mortos e tempos de mortes altos, a KEYD avança mid e dá GG ! 

CONCLUSÃO

A ideia e plano de jogo da INTZ  foram bem construídos e exibiram um DRAFT espetacular, conseguindo cada pick que queriam, nas lanes que queriam, tendo pressão onde desejavam e com uma boa execução nos primeiros 7 minutos de partida. Mas, daí pra frente só foi ladeira abaixo. A falta de proatividade do seu caçador em conseguir bons ganks/continuar invadindo a selva do Revolta foi fundamental para que os laners da KEYD mantivessem a constância em suas rotas e não ficarem atrás no ouro.

Com certeza o time da KEYD  tem muitos méritos em sua vitória, Revolta givou sua selva sempre procurando minimizar os prejuízos, assim como os laners evitaram ao máximo os ganks que podiam snowballar a favor da INTZ. Somado à fantástica decisão de aceitar a luta na botlane que praticamente igualou o jogo na marca dos 13 minutos, onde a INTZ  já esperava estar com uma vantagem considerável, a KEYD fez o seu trabalho.

A paciência e disciplina da KEYD  foram os principais fatores para conseguir “frear” o começo de jogo esmagador da INTZ, que por sua vez teve vários momentos de afobação, falta de criatividade e foco na condição de vitória.

Bem, foi um jogo muito legal de assistir. O que vocês acharam das partidas?

Espero que tenham gostado do texto. Até a próxima quarta-feira!

Vinicius “Zero” Pereira acompanha o cenário nacional e internacional competitivo de LOL há mais de 5 anos e atualmente trabalha como analista na LDL E-Sports.

Além disso, atua no Escola de Invocadores criando conteúdos relacionados ao CBLOL e análises em geral.