Análise Misfits X Vitality (LCS EU – SEMANA 4)

Análise Misfits X Vitality (LCS EU – Semana 4)

Introdução

Olá, pessoal, meu nome é Zero e hoje estarei analisando a partida entre a Misfits, primeiro colocado da LCS EU, contra a Vitality, que ocupa o terceiro lugar, pela semana 4 da fase de grupos.

Esse é um jogo interessante pois podemos ver a superioridade no momento da MSF em relação aos outros times da LCS, até os que estão na ponta de cima da tabela!

Se quiser conferir, segue a partida!

 

Draft

No começo do jogo, principalmente pré nível 6, a Misfits tem uma grande vantagem na selva. A Taliyah é um caçador veloz com um bom setup para ganks e com muito dano. Na VIT, por outro lado temos um Nocturne que pré-6 tem um gank mediano e não consegue ser tão veloz quanto a ela, o que coloca a Misfits em uma grande vantagem no começo do jogo, pois podem abusar da selva.

Podemos perceber também que em ambos os times temos uma forte presença global e um bom setup para lutas. Então, as composições de certa forma se assemelham, mas na hora das lutas podemos perceber uma boa vantagem para a Vitality, onde existe uma extrema variedade de controles de grupo e o poder de rapidamente burstar um alvo (Zoe, Nocturne). Já no time da Misfits, não temos nenhum “burster”, eles se aproveitam de lutas longas onde podem abusar de seus CD’s varias vezes. Basicamente irão jogar as lutas no reengage e esperando um erro de engage do adversário.

Já falando em prioridades de campeões nas lutas, é prioridade para a Vitality eliminar a atiradora Kaisa e a caçadora Talyah, pois são as principais fontes de dano da equipe da Misfits, enquanto a Misfits tem que focar em retrair o máximo possível do engage da Vitality, principalmente usando o Galio e a Poppy.

Em um breve resumo eu diria que as condições de vitória de ambos os times são as seguintes:

Se a Misfits conseguir abusar da selva e criar um snowball no começo do jogo, com certeza será extremamente fácil para eles executarem suas lutas. Mas, se esse inicio de jogo forte é parado pela Vitality, o jogo vira uma briga de execução. Quem conseguir executar sua luta em equipe melhor, consegue ganhar.

 

Nível 1

No level 1 temos uma jogada extremamente inteligente por parte da Vitality. Reconhecendo que possuíam um nível 1 mais forte (com mais controles de grupo), fazem um late invade aos 1:20 no vermelho da MSF. Na jogada podemos ver que é um 4×3 e a MSF decide manter o Galio no mid, o que é uma decisão questionável, pois talvez com ele a defesa do buff seria possível. Porém, ele se mantem no mid e o time da Vitality conquista o FB e o RED (ambos na mão do Nocturne).

Com isso a vantagem early game que a MSF conquistou com a match-up de Talyah contra Noc vai para 0. Basicamente, agora a Talyah tem que jogar apenas para limpar sua selva e tentar alcançar o XP do Noc, então a sua pressão de mapa pré-6 é quase reduzida a 0.

Early Game

Nocturne mantém 3 campos na frente da Talyah e 2 níveis aos 5 minutos e meio de jogo.

Pela desvantagem criada no nível 1, é extremamente difícil qualquer tipo de criação de jogadas por parte do caçador da Misfits então temos um começo de jogo pré-6 extremamente passivo.

O primeiro ponto que gostaria de abordar é a qualidade do time da Misfits nos resets (recalls). A rota de baixo da Misfits empurra a botlane adversária até a torre e dão recalls juntos, forçando a bot da VIT limpar mais uma wave antes de ir para base, com isso eles conseguem chegar a lane antes que o time da VIT e colocam uma ward crucial para o seguimento do jogo, pois a MSF estava focando sua visão na parte de cima do mapa, deixando sua parte de baixo desprotegida e aberta a Dives.

Ward crucial para o defender a botlane da MSF e o Dragão.

Pouco tempo após essa ward a botlane da VIT ganha pressão por ter eliminado a Kaisa. Então, o Nocturne vê uma oportunidade para fazer o dragão, mas  a ward colocada antes pela vantagem de reset, é extremamente efetiva e dá visão da vida do dragão e do Nocturne.

Isso dá tempo e espaço para que a MSF consiga responder a iniciativa da VIT, que é exatamente o que acontece.

A MSF consegue parar o dragão da VIT, entretanto o Nocturne consegue pega-ló com seu smite, mas a VIT não estava preparada para uma luta nesse momento do jogo, não havia setup nenhum, e acabam perdendo 2 jogadores.

O que de certa forma iguala muito o jogo, então novamente vemos uma partida que será decidida nas lutas, pois neste momento todos estão pós-6 e o ouro igualado.

Mesmo resetando “atrás” a botlane da MSF tenta uma atitude ousada usando a agressividade e rotação de habilidades do suporte Pyke, aproveitam seu reset indo ao meio eliminar a Zoe ao invés de responder as waves acumuladas no topo.

Com esse abate eles conseguiram uma abertura para fazer um Arauto sem contestação e galgar um pouco a frente na partida.

Com um erro individual do suporte da MSF, a Vitality garante um pickoff e cria mais uma condição de vitória para sua composição, o acúmulo de dragões infernais.

Novamente a MSF abusa dos resets(recalls) da VIT e consegue levar a torre do meio sem nenhuma resposta adequada.

A primeira luta do jogo começa com um engage da MSF, mas a Vitality consegue responder e deixar a luta no 5×5. Entretanto, 2 detalhes são fatais para a derrota da VIT nessa luta, o Nocturne do Gilius não consegue burstar nenhum alvo prioritário, ou seja, uma das principais fontes de dano da VIT não aplicou dano a luta inteira. O que restou como fonte de dano foram a Zoe e Swain, que ficou fora quase a luta inteira pelo ult da Poppy. Assim, restou como dano apenas a Zoe, que não é um campeão DPS e estava longe do seu spike. Então, a Misfits ganha a luta na pura execução!

Poucos minutos depois da última luta outra é iniciada, mas agora o engage vem por parte da VIT. Como podemos perceber, ambas as side lanes estão extremamente favoráveis para a MSF em questão de push, então a VIT é obrigada a engajar.

Dessa vez o engage é feito corretamente e o Nocturne do Gilius consegue burstar seu alvo principal, que é a Kaisa, o que torna a luta muito mais simples para a VIT, já que usaram sua condição de vitória principal para ganhar a luta (Eliminar o principal DPS). Assim, eles conseguem sua primeira luta vantajosa na partida eliminando 4 jogadores e igualando o ouro.

Mas, é importante notar que o tempo é extremamente benéfico por parte da VIT pela conquista de 2 dragões infernais. Então, com a igualidade de ouro e com o avanço da partida, com certeza eles estão levando vantagem.

Outro ponto é que apesar de levarem 4 membros, a VIT não consegue conquistar nenhum objetivo, pois as side waves setadas pela MSF estavam muito bem feitas, impossibilitando assim a destruição de qualquer torre.

Após a última luta, a VIT tenta armar um baron e forçar uma TF por parte da MSF por perceberem sua vantagem. Então, logo quando iniciam o Nocturne consegue burstar a Kaisa e morre em seguida, mas o Mikyx, suporte da MSF, se destaca e consegue um bom puxão. Assim, eles são reengajados após alguns segundos em uma luta 4X4 e a MSF consegue matar os 4 abusando literalmente do seu reengaje e de seus tempos de recarga, como stuns da poppy e taunts do Galio, além da Talyah do Maxlore que não foi focada no jogo em geral e consegue aplicar muito dano.

Fazendo praticamente um ACE na última luta, MSF conquista o baron.

Então, um erro grotesco e estranho feito pela VIT. Quaisquer chances de eles ganharem a luta ou o jogo foram desperdiçadas exatamente aqui. Logo após reset da MSF o Nocturne do Gillius tenta engajar no GALIO da MSF, que possui Bastão das Eras stackado ao máximo e Zhonya ativável. Obviamente o engage dá errado, VIT perde vários membros e a MSF leva 3 torres e 1 inibidor e abre sua vantagem de gold para 10 mil.

Basicamente qualquer tipo de esperança de segurar o jogo durante o barão ou engajar em um erro da MSF foi desperdiçada pela Vitality nessa luta, com um engage indescritivelmente ruim.

Dessa vez a VIT mesmo 10 mil de ouro atrás consegue ganhar uma luta, mas por um erro fatal do atirador Hans Sama. Além de usar seu StopWatch na hora errada (Depois de ter recebido o burst da Zoe), ainda saiu do seu relógio dentro da ult do Swain e foi abatido rapidamente, deixando assim a luta inteiramente 4×5. Com isso a VIT consegue respirar na partida por um breve período de tempo, mas como podemos ver, novamente a MSF setou suas waves nas side lanes extremamente bem, se prevenindo de qualquer agressão a seus objetivos mesmo perdendo a luta.

Por ter conseguido o último barão e ter controlado a visão na parte de cima do mapa, a MSF consegue abusar do reset do time da VIT para rushar ao barão e fazê-lo sem contestação, pois a VIT não tinha visão e não á conquistou com tempo suficiente para contestar.

Isso novamente deixa o jogo na mão da MSF, que por ser o único time invencível no campeonato até agora, provavelmente sabe como usa-ló.

MSF abusa de seu barão para levar a torre do topo. Logo quando destruída a VIT tenta engajar uma luta mas o engage do Gilius na Talyah é frustado pela Poppy, rapidamente ele é burstado e se torna impossível para o time da Vitality vencer a luta, pois não há meios de chegar na backline inimiga. Então, rapidamente a MSF limpa o resto dos membros e ganha a partida.

Conclusão

Apesar de ser uma partida bem igualada, o abuso de resets feito pela Misfits, seu controle de wave e execução de lutas foi extremamente superior ao da Vitality, o que os levaram a sua 8 vitória seguida no split e atualmente ocupando o primeiro lugar da tabela. Com pouquíssimos erros individuais e uma ótima execução, claramente a vitória por parte das MSF foi merecida.

Por parte da Vitality vimos um time que teve vários erros indíviduais como engage no Galio e o underperformance do seu midlaner, além do fraco controle de waves e não conseguiam punir os erros da MSF adequadamente (basicamente nenhum reset da MSF foi punido, enquanto todos da VIT foram punidos de alguma forma).

É isso aí, galera! Um grande abraço e até a próxima!

 

Vinicius “Zero” Pereira acompanha o cenário nacional e internacional competitivo de LOL há mais de 5 anos e atualmente trabalha como analista na LDL E-Sports.

Além disso, atua no Escola de Invocadores criando conteúdos relacionados ao CBLOL e análises em geral.