O meta dos atiradores no patch 8.11

O meta dos atiradores no patch 8.11 e no CBLOL

Eai pessoal, aqui é o Zero! Sou analista da LDL E-Sports e hoje vou explicar para vocês o que diabos aconteceu no último fim de semana do CBLOL!

Nesse fim de semana tivemos a primeira rodada da 2 etapa do CBLOL, que foi jogado no patch 8.11. E, com certeza tivemos ótimos jogos, mas que não saíram muito do que previmos no power ranking da semana passada.

Entretanto, o que todos querem saber mesmo é o que diabos está acontecendo com o jogo, né? Que diabos aconteceu com os ADs?!

Vamos começar do começo

O que realmente se destacou nas partidas do fim de semana foi, com certeza, o DRAFT. As escolhas de campeões foram a maior surpresa para o público que não esperava tamanha diversidade. No total 52 campeões diferentes apareceram no CBLOL no final de semana (Picks/Bans), isto é, 37% dos campeões disponíveis no jogo.

Mas o destaque de escolhas fora do padrão foi para os atiradores. Campeões como Mordekaiser e Ornn foram escolhidos para a posição.

No jogo 1 de IDM X FLA, Ornn e Kennen foram os respectivos atiradores.

Como você pôde perceber, a escolha de atiradores convencionais do último split como Tristana, Caitlyn e Xayah, não estão sendo contestados nem cogitados. Mas, isso não é por acaso, esse meta se deve às mudanças que ocorreram nos atiradores no patch 8.11

Basicamente, todos os atiradores tiveram seu começo de jogo enfraquecido com menos armadura, dano de ataque e regeneração, ainda que sua vida e seu crescimento por nível tenham aumentado.

Então, com essas mudanças a Riot almejou enfraquecer todos os atiradores na fase de rota e fortificá-los no final do jogo. Mas, não satisfeita, para piorar ainda mais o começo e melhorar o fim do jogo dos atiradores, a Riot fez diversas mudanças nos itens de crítico, que prejudicaram o crescimento dos campeões dependentes dessas builds.

Como podemos ver os itens de crítico ficaram mais caros e dão menos critico, fora o gume, que foi fortemente nerfado como primeiro/segundo item, pois depende do seu critico total para ser mais efetivo.

Com isso os atiradores de crítico perderam muita prioridade e atiradores que não tiveram seus itens iniciais mexidos como Kai’Sa e Ezreal, continuaram relevantes. Mas, após pouco tempo de lançamento do patch, a Riot fez um hotfix  e nerfou ambos os campeões.

O meta dos atiradores no patch 8.11

Assim, basicamente todos os campeões atiradores estavam com um começo de jogo muito mais fraco do que antes, além com um meio de jogo enfraquecido. Foi notando isso as grandes mentes criativas da solo queue do mundo inteiro começaram a perceber que campeões como Irelia, Vlad, Mordekaiser, Yasuo estavam conseguindo passar a lane phase de forma segura e tendo spikes de poder muito mais cedo, com 1 item e com poucos níveis.

Isso acontece porque esses campeões na rota de baixo antigamente teriam dificuldade pelo alto dano que os atiradores de longa distancia aplicavam e o quão cedo eles davam uma grande quantidade de dano. Sendo assim, dificultava o farm e o crescimento no começo do jogo.

Mas, com o enfraquecimento do começo do jogo, esses campeões, apesar de levarem uma pequena pressão para farmar no começo, rapidamente viram a pressão da lane e conseguem ter pressão de kill contra o atirador de longa distancia. Desta forma, cria-se um snowball na parte de baixo do mapa caso haja uma disputa de atirador de longa distancia contra esses bruisers.

Atiradores no CBLOL !

Atiradores usados na primeira rodada do CBLOL.

Como podemos ver 2 atiradores de longa distancia tiveram certa prioridade nesta primeira rodada. Entre eles, Lucian, pois está no design e stats do campeão ter um começo de jogo forte e seu primeiro item, Espada do Rei Destruído, teve seu custo final reduzido. Sendo assim, o atirador consegue finaliza-lá mais cedo no jogo e ter um spike rápido.

E também temos a Kaisa que, desde seu lançamento, é prioridade na lane em todas as ligas do mundo. Isso acontece porque ela tem um kit muito diferenciado dos atiradores comuns e é provavelmente o atirador mais forte do jogo desde que foi lançado. Fora que o spike com o seu primeiro item, Guinsoo, é muito constante.

No resto dos campeões vemos uma diversidade muito grande, desde picks convencionais como Caitlyn a campeões estranhos à rota como Ornn.

Isso ocorre pois a maioria dos campeões podem ser jogados na rota de baixo no momento. Como os atiradores estão enfraquecidos no começo do jogo, os campeões com grandes spikes no primeiro e segundo item tem uma lane praticamente livre para farmar e se fortalecer.

Desta forma, cria-se um cenário onde o meta roda em volta de Snowball. Quem consegue jogar melhor com seus power spikes, principalmente na Bot Lane, onde a gama de campeões no momento não pode ser prevista, ganha o jogo.

E, além dos que já citamos, outro “problema” que esse meta criou foi a flexibilidade. Nos picks e bans do jogo, antes campeões que poderiam jogar apenas 2 rotas, como o Yasuo, agora podem ser flexionado para 3 rotas. Pode parecer pouca coisa, mas isso deixa quase impossível prever onde o campeão será jogado para selecionar uma resposta/ counter na sua rotação.

 Conclusão

Basicamente os novos picks na botlane se devem aos nerfs que todos os atiradores de longa distancia do jogo receberam. Assim a rota de baixo ganhou um incrível espaço para novos campeões e, no momento, vários jogadores do mundo inteiro estão testando novas combinações e campeões viáveis. Então, podemos esperar ainda mais diversidade em ligas internacionais como LCS NA/EU, LCK e LPL.

Mas não vamos ficar tristes, é essa diversidade deixa o jogo muito mais divertido e interessante de ser assistindo. Complica um pouco a vida nos jogadores profissionais e das comissões técnicas pela incrível quantidade de possibilidades e imprevisibilidade da rota, porém nos dá um bom show.

Com certeza o draft está mais complexo e difícil de ser lido/construído nos palcos, o que deixa ainda mais interessante e talvez confuso para o público. Mas, no geral, acredito que essas mudanças no meta tenham sido positivas para o jogo, para quem joga e quem assiste.

Espero que tenham entendido melhor toda essa loucura que está ocorrendo nos picks e bans do nosso campeonato preferido, qualquer dúvida é só colocar nos comentários !

 

Vinicius “Zero” Pereira acompanha o cenário nacional e internacional competitivo de LOL há mais de 5 anos e atualmente trabalha como analista na LDL E-Sports.

Além disso, atua no Escola de Invocadores criando conteúdos relacionados ao CBLOL e análises em geral.