Power Ranking CBLOL 2018 – 2ª ETAPA

Power Ranking CBLOL 2018 – 2 ETAPA

Olá, para quem não me conhece sou o Vinicius ” Zero” Pereira, trabalho como analista na LDL e-Sports e acompanho o CBLOL há cerca de 5 anos.

Neste artigo vou ranquear os times do CBLOL conforme minha expectativa, analisando suas forças e fraquezas. Além disso, irei comentar as mudanças das peças e onde eu acho que irão finalizar no fim do split.

1º LUGAR – VIVO KEYD

TOPO Felipe “Yang” Zhao
CAÇADOR Gabriel “Revolta” Henud
MEIO Gabriel “tockers” Claumann
MEIO Felipe “Kaneca” Kanecadan
ATIRADOR Micael “micaO” Rodrigues
ATIRADOR Jorge “Klaus” Silveira
SUPORTE Luan “Jockster” Cardoso
TÉCNICO Hugo “Galfi” Garcia

É dificil não colocar os famosos guerreiros da Keyd em 1º lugar. Os mesmos players já provaram sua glória do passado e agora contam com Hugo “Galfi” Garcia, como seu novo Head Coach, que traz novos ares e idéias para o grupo.

Com certeza é o time que, como conjunto, tem mais partidas no CBLOL e é mais experiente internacionalmente do que todos os outros. 

Com o exódia se mantendo imutável, a line-up seguiu junto a Coreia Do Sul no fim do ultimo split e se instalaram lá por 33 dias, onde treinaram em uma PC Bang (Lan House), jogando nas competitivas filas ranqueadas coreanas. Agora, nos resta saber o que eles trarão da Coreia, e como isso fortalecerá os guerreiros para o próximo split.

O time da Vivo Keyd com certeza é o mais cotado para o posto de primeiro lugar neste CBLOL já que após a campanha “bem sucedida” dos guerreiros no último split, a Keyd preferiu manter todos os jogadores de sua line-up.

2º LUGAR – RED CANIDS

TOPO Pedro “LEP” Marcari
TOPO Guilherme “Guigo” Ruiz
CAÇADOR Lee “Chaser” Sang-hyun
MEIO Kim ”Sky” Ha-neul
MEIO Adriano “Avenger” Perassoli
ATIRADOR Gustavo “Sacy” Rossi
ATIRADOR Heitor “Perz” Gomes
SUPORTE Caio “Loop” Almeida
TÉCNICO Alexander “Abaxial” Haibel


Mantendo a mesma base que conquistou o 3º lugar na ultima etapa, a Red Canids vem para o segundo split com 3 grandes mudanças. A primeira foi a saída de Winged por problemas de saude, já as outras duas são a saída do suporte Victor “Cabu” Rangel para a entrada de Caio “Loop” Almeida, que atuava pela Pain Gaming, time que foi rebaixado para o circuito desafiante e a entrada do treinador Alexander “Abaxial” Haibel, tri-campeão brasileiro. 
Com a saída de Winged, o coreano Lee “Chaser” Sang-hyun foi convocado em seu lugar. O mesmo já teve passagens por grandes times coreanos como Jin Air, Incredible Miracle e Longzhu Gaming e até mesmo dividiu sua posição de titular com o Winged em 2015 na Jin Air. 

Com essas mudanças, vejo uma Red Canids muito mais forte para o segundo split. A principal mudança in-game será a liderança do experiente suporte Loop, pois a comunicação e as más tomadas de decisão eram pontos carimbados no time da Red no último split.

Também há um upgrade na comissão técnica, pois o treinador Abaxial conta com muita experiência nacional e internacional. Os jogadores da atual Red Canids já disseram que o principal ponto do treinador é conseguir remediar as divergências de opiniões do time in-game, que provavelmente ocorrem frequentemente pelos problemas de comunicação que há entre os players coreanos e brasileiros.

3º LUGAR – CNB E-SPORTS CLUB

TOPO Leonardo “Robo” Souza
CAÇADOR Yan “Yampi” Petermann
CAÇADOR Benjamim “Hy0g4” De Barbi
CAÇADOR Gabriel “Turtle” Peixoto
MEIO Rafael “Rakin” Knittel
MEIO Bruno “Brucer” Pereira
ATIRADOR Pablo “pbO” Yuri
ATIRADOR Vinicius “Bydeki” Hideki
SUPORTE Gustavo “Baiano” Gomes
TÉCNICO Jimmy Harrison

A CNB vem para a segunda etapa com exatamente a mesma line-up da primeira, com apenas a grande adição do meio Bruno “Brucer” Pereira.

Com um primeiro split extremamente conturbado na fase regular, onde foram feitas varias alterações de line-up, os reis da CNB conseguiram alcançar a segunda fase da escalada e finalizar o CBLOl em 4º lugar.

Na fase regular vimos uma CNB extremamente dispersa e confusa em relação a line-up e estilo de jogo, mas na escalada conseguimos ver a evolução da line-up que primeiramente foi jogada com Rakin no meio. A série contra a Pro Gaming foi histórica e emocionante para todos que estavam assistindo, no entanto sucumbiram logo a seguir contra os guerreiros da Vivo Keyd.

Observo que a CNB do primeiro split não alcançou seu potencial máximo, pois sua melhor line-up não teve tantas semanas de treino como as outras devido a confusão sobre quais players jogariam. Sendo assim, coloco os mesmos em 3º lugar, porque esse time em seu auge pode brigar pelo titulo e incomodar os francos favoritos deste split.

4º LUGAR – KABUM E-SPORTS

TOPO Lucas “Zantins” Zanqueta
TOPO Henrique “KZ” Monteiro
CAÇADOR Filipe “Ranger” Brombilla
MEIO Matheus “Dynquedo” Rossini
MEIO Guilherme “Atlanta” Matos
ATIRADOR Alexandre “Titan” Lima
SUPORTE Marcelo “Riyev” Carrara
SUPORTE Willyan “Wos” Bonpam
TÉCNICO Gabriel “Halier” Garcia


A maioria dos seus player são jogadores renegados e antigos do cenário, que nunca tiveram muito destaque por onde passaram, mas tudo isso mudou quando o treinador estrangeiro Nuddle, chegou à Kabum e mudou totalmente os ares e formas de pensamento da line-up. O time
 foi o último a triunfar e se tornar o grande campeão brasileiro. Em 1 ano conquistaram todos os torneios oficiais brasileiros da Riot, o circuito desafiante e o CBLOL, e,  vistos como underdogs, com certeza surpreenderam todos os times do CBLOL e também o público.

Por meio de entrevistas e colocações dadas pelos jogadores, Nuddle foi o principal motivo da mudança da Kabum e de sua ascensão. Sempre posto como líder autoritário e disciplinado, o coach reescreveu a carreira de todos os jogadores da organização e levou a equipe à glória.

Após uma passagem fraca, mas esperada no MSI, Nuddle decidiu sair da organização brasileira e voar para solos estrangeiros em busca de evoluir sua carreira, deixando assim o posto de Head Coach da Kabum vago, que no momento é trabalhado por Gabriel “Halier” Garcia, o treinador assistente da última temporada.

Mesmo voltando de solo estrangeiro e com a mesma line-up campeã, a Kabum falta de seu maior trunfo, o que me deixa com uma pulga atrás da orelha em relação a esse time. Com certeza são jogadores campeões, mas será que conseguirão por conta própria manter os métodos e a disciplina que o Nuddle trazia?

Não imagino esse mesmo time fora da escalada ou abaixo do top 4 nesse split, mas é extremamente difícil imaginar que os atuais campeões brasileiros irão alcançar as mesmas façanhas novamente sem seu principal alicerce.

5º LUGAR – PROGAMING E-SPORTS

TOPO Mateus “SkyBart” Neves
TOPO Álvaro “Vert” Martins
CAÇADOR Gustavo “Minerva” Alves
MEIO Leonardo “Lynkez” Cassuci
ATIRADOR Lucas “LUSKKA” Rentechen
ATIRADOR Filipe “FBK1” Vaz
SUPORTE Matheus “Professor” Leirião
TÉCNICO João “Dionrray” Barbosa

 A ProGaming amargurou a quinta colocação no split regular e logo caíram para os reis da CNB na primeira fase da escalada. Com isso tiveram que jogar a escalada de rebaixamento e após perderem para a INTZ, tiveram que disputar uma melhor de três contra a Team One.

Entretanto, no inicio da escalada a ProGaming era fortemente colocada como 3º melhor time da competição. Alguns acreditavam até que ganhariam dos guerreiros da Vivo Keyd, no entanto, cometeram uma série de erros na fase da escalada que levaram o time a quase disputar a série de promoção.

Para esta etapa, a ProGaming mantem sua base, com SkyBart, Minerva, Luskka e Professor,  mas ainda há duvidas de quem ocupará o lugador deixado por Goku, que foi para o Flamengo.

Há 2 possibilidades, que o novo integrante Vert, originalmente campeão brasileiro jogando no topo, migre para a rota do meio, ou que o reserva Lynkez assuma a posição titular.

De qualquer maneira é um downgrade em relação ao midlaner antigo, Goku, o que me leva a acreditar que a ProGaming terá um árduo caminho pela frente até o topo da escalada.

Mas, com uma base sólida e com bons jogadores, creio que eles chegarão sim a escalada, mas não chegarão a disputar a taça.

6º LUGAR – INTZ E-SPORTS

TOPO Rodrigo “Tay” Panisa
TOPO Paulo “Balto” Vinícius
CAÇADOR Diogo “Shini” Rogê
CAÇADOR Diego “Sephis” Alejandro
MEIO Bruno “Envy” Ventura
MEIO Bruno “Hauz” Ferreira
ATIRADOR Luis “Absolut” Carvalho
SUPORTE Ygor “RedBert” Freitas
SUPORTE Antônio “Maynah” Araújo
TÉCNICO Lucas “Maestro” Pierre

Os intrépido amarguraram a 6º posição da fase regular do ultimo split, mas evitaram sua caida superando a ProGaming na escalada de rebaixamento.

Sempre elogiados em treinos pela proatividade e agresividade, a INTZ jogava a maioria dos seus jogos apática e com poucas criações de jogadas, geralmente reagindo as jogadas adversárias.

Para esse split eles se desfizeram de Ayel, o destaque do time, e de Ziriguidun, o companheiro de Absolut na botlane.

No lugar do Ayel, entrou o ex caçador da Pain, Tay , que agora jogará em sua quarta posição diferente no competitivo, e no lugar de Ziriguidun, o ex suporte da rebaixada Team One, RedBert, irá atuar.

RedBert e Absolut foram a dupla da rota de baixo campeã da 2 etapa do CBLOL 2017, o que nós mostra uma forte sinergia entre ambos.

No entanto, nenhuma das contratações indica que os problemas do time irão sumir, afinal, mantém a mesma base ( Shini,Envy,Absolut ) e comissão técnica, e com um topo novato na posição certamente terão um grande caminho a percorrer se quiserem chegar a escalada.

7º LUGAR – FLAMENGO ESPORTS

TOPO Jin-cheol “Jisu” Park
CAÇADOR Byeong-hoon “Shrimp” Lee
CAÇADOR Lucca “Regrets” Cortes
MEIO Bruno “Goku” Miyaguchi
ATIRADOR Felipe “brTT” Gonçalves
SUPORTE Eidi “esA” Yanagimachi
SUPORTE Raul “Bressan” Bressan
TÉCNICO Gabriel “MiT” Souza

O Flamengo é, junto com a IDM, o mais novo time do CBLOL. Após perder a final do circuito desafiante para a Ilha, o Rubro Negro teve que enfrentar a Team One em uma acirrada MD5 para subir ao CBLOL.

As únicas mudanças do time foi a saída do meio prodígio Evrot, e saída do experiente caçador SirT. Em seus lugares entraram respectivamente o meio Goku e o caçador coreano Shrimp.

Por pouco o time do Flamengo não entra para o CBLOL. No desafiante mostraram atuações fracas e, apesar da expectativa, não corresponderam com o tamanho dos nomes da line-up.

Mesmo as mudanças, não vejo uma evolução, pois Goku foi um meio muito instável durante o campeonato, cheio de altos e muitos baixos e, apesar do Shrimp ser coreano, não se engane, ele passou praticamente toda sua carreira no NA, sem títulos revelantes e sem destaque.

O que pode manter o Flamengo no CBLOL é a alta experiencia em todos os jogadores do time, algo que beneficia a equipe em situações como uma escalada de rebaixamento e jogos decisivos.

8º LUGAR – IDM GAMING

TOPO Gustavo “Name” Rodrigues
TOPO Mateus “Fitz” Causes
CAÇADOR Marcos “Cariok” Oliveira
MEIO Ruan “Anyyy” Silva
ATIRADOR Matheus “Sarkis” Guimarães
SUPORTE Yan “Damage” Sales
SUPORTE Victor “Cabu” Rangel
TÉCNICO Erick “Erickão” Cardoso

O atual time campeão do circuito desafiante, que ganhou do experiente time do Flamengo na final, é meu candidato ao rebaixamento direto neste split.

Com a subida ao CBLOL, eles continuaram com os mesmos jogadores, e contrataram nomes experientes como o suporte Cabu, e o top Fitz, que foi vice campeão do LAS no primeiro split. Além disso, um novo Head Coach, ScrappyDoo que teve apenas experiências nas ligas nacionais da Europa também foi contratado.

Com essas novas adições com certeza a IDM vem como um time forte, que não deixará o CBLOL tão facilmente, mas é a line-up que conta com mais novatos e com menos experiência em todo o campeonato.

Conclusão

Bem, essas são minhas apostas para essa etapa, mas como todos sabem, o CBLOL é um campeonato extremamente imprevisível em que tudo pode acontecer.

Os palpites foram feitos levando em conta minha opinião, análise de antigos resultados e novas contratações de cada time.

A cada semana, toda quarta eu irei lançar algum conteúdo aqui no Escola do Invocador, geralmente analisando alguma parte do nosso querido CBLOL e as vezes trazendo ideias e jogadas que são realizadas no jogo profissional que podem ser usadas na sua soloQ!

Um abraço e até semana que vem!

Zero

Vinicius “Zero” Pereira acompanha o cenário nacional e internacional competitivo de LOL há mais de 5 anos e atualmente trabalha como analista na LDL E-Sports.

Além disso, atua no Escola de Invocadores criando conteúdos relacionados ao CBLOL e análises em geral.