Desvende os Counters – Análise de Match Ups

Olá, Invocador, eu sou o Heye e hoje nós vamos falar sobre Match Ups.

Entender bem esse assunto dá ao jogador uma visão muito mais completa sobre o desenvolvimento das partidas. E, assim, se torna muito mais fácil aproveitar brechas e picos de poder de suas composições.

Ah, sim, recebo muitos pedidos sobre dicas para Jungle, e essa aqui é uma ótima, então se você é Jungle, precisa ler este texto de qualquer jeito.

Vamos lá!

O que são Match Ups?

Creio que a forma mais simples de explicar é dizer que Match Ups são confrontos entre dois ou mais campeões. Por exemplo, Renekton vs Fiora, uma Match Up de 1×1, ou Caitlyn Karma vs Lucian Alistar, uma Match Up 2×2.

Consequentemente, quanto mais adicionamos campeões, mais difícil fica analisar a Match Up, porque temos que levar mais coisas em consideração. Ao analisar o 1×1, apenas as habilidades de 2 campeões estão em jogos. Em um 2×2, são habilidades de 4 campeões interferindo entre si.

Quanto mais campeões, mais difícil e mais próxima de uma análise de composição ela fica. Quanto menos campeões, mais simples e rápida se torna a análise.

Bom, dito isso, daqui para frente, vamos descobrir como fazer essa análise e onde isso vai nos beneficiar.

Como fazer a análise?

Para analisar uma Match Up, precisamos esta atento a alguns princípios e regras importantes. Se não tomarmos cuidado, podemos acabar fazendo análises superficiais e assim comprometer os resultados.

Vamos às regras que usamos.

  1. Devemos analisar as habilidades de todos os campeões envolvidos.
  2. Devemos analisar todos os momentos do jogo, isto é, Early, Mid e Late Game.
  3. Devemos considerar o Jungle como um segundo ou terceiro campeão em cada lane.

E aos princípios.

  1. Quem tem o Push? (quem empurra a rota mais fácil)
  2. Quem vence a troca a curto prazo? E a longo?
  3. Quem tem pressão de kill?

E finalmente às perguntas que devemos fazer para preencher essas lacunas.

  1. Quem tem mais habilidades de dano em área?
  2. Alguém tem Sustain?
  3. Qual a forma de dano dos campeões?
  4. Quais as habilidades essenciais¹?
  5. Alguém tem Burst?
  6. Alguém tem CC?

 

Bom, existem mais perguntas que podem ser feitas, mas essas são as principais. Você não precisa ter tudo isso decorado, são coisas que aprendemos naturalmente. Mas, é bom tentar lembrar dos conceitos ao ver os campeões.

Por exemplo, ao ver uma Nami eu não paro para pensar em cada uma dessas questões. Eu sei que ela tem CC com o Q, mas que é difícil acertar. Tem sustain e um bom harass na lane, o que dá muita força para trocas a longo prazo. No entanto, trocas rápidas não são tão boas para ela, porque o CC que ela tem é complicado de acertar e, caso seja lançado errado, pode comprometer a jogada.

A ideia é que você saiba disso naturalmente.

Agora, vamos analisar esses pontos mais profundamente.

¹Habilidades essenciais – São as habilidades mais importantes de cada campeão. Ex: Sentença do Thresh.

Qual a importância das Regras?

“1. Devemos analisar as habilidades de todos os campeões envolvidos.”

Atualmente não é comum vermos esse tipo de jogada por conta dos buffs das torres. Mas, em tempos antigos, era possível vermos inversões de rotas acontecendo muito cedo e situações como 3×2 entre Jungle e Top vs Adc Sup e Jungle acontecerem.

Essa situação nada convencional forçava os Coachs a analisar as Match Ups de uma forma completamente diferente. Quanto melhor fosse o Clear Wave do Top e Jungle, melhor para eles. Por outro lado, quanto maior a capacidade de Harass e Zoning do Adc, Suporte e Jungle, melhor eles se saíam.

O principal ponto a ressaltar é que em uma Lane de mais de dois jogadores, seja pela presença do suporte, jungle ou qualquer outro, devemos levar todos em consideração.

Não existe campeão irrelevante.

As habilidades do suporte definem mais o Early Game do que as do ADC. Eis o motivo de Lulu e Karma terem dominado o meta por tanto tempo. Um jungle com CC e gap close pode ser mais definitivo para a Match Up do top do que os próprios laners. (Alô, Zac e Elise.)

“2. Devemos analisar todos os momentos do jogo, isto é, Early, Mid e Late Game.”

Conforme o jogo evolui, as Match Ups também evoluem. Por exemplo. Um Cait vence uma Vayne durante todo o Early Game, mas, no pico de um Item, a Vayne sola a Cait no 1×1 (em condições iguais). Isso só não costuma acontecer porque a presença dos suportes impede um all in.

Bom, já sabe, não deixe sua Cait sozinha contra uma Vayne após a Espada do Rei fechada. Ou sua Poppy segurando uma torre contra o Trundle no Late Game, ou sua Syndra lidando com o Fizz nível 6. Não vai dar certo.

Todas essas situações são exemplos de Match Ups que evoluem e mudam de lado. Enquanto a Poppy tem um Early Game estável contra o Trundle, no Late ele leva a torre sem ao menos sentir a presença dela. A mesma ideia se aplica ao famoso Syndra vs Fizz, onde a Syndra tem vantagem até o nível 6, mas quando o Fizz consegue o Lançar Isca, ela precisa abraçar a torre.

“3. Devemos considerar o Jungle como um segundo ou terceiro campeão em cada lane.”

Um dos grandes motivos pelo qual o Lee é um Jungle tão forte, é a sua versatilidade. Tanto para Ganks quanto para Counter Ganks ele se sai muito bem, principalmente a partir do nível 6, mas sem perder em nada antes disso.

Vamos fazer uma pequena análise de um Match Up de Galio + Kha’Zix x Poppy + Lee Sin.

A Lane não tem nenhum potencial de Kill, o Galio não vai matar a Poppy sozinho e vice-versa, mas os Jungles tem muito dano.

Apesar dos Jungles terem muito dano, o Lee só tem potencial de Kill no Galio a partir do nível 6, porque falta um Hard CC na lane e o Galio tem gap close. Dependeria de uma ótima jogada da Poppy ou vacilo do Galio.

Por outro lado, o Kha’Zix tem dano o suficiente para matar a Poppy em uma troca rápida junto com provocar e dano do Galio.

Conclusão

Antes do nível 6, o potencial de Kill é do Galio + Kha’Zix, sendo que, se a troca for 2×2 de frente, sem bait, a vantagem é para o Lee, porque o dano do Kha’Zix é situacional (alvos isolados).

Por outro lado, o desengage da Poppy é bom e o counter gank do Lee tem vantagem pelo dano e facilidade de movimentação.

A partir do Nível 6 o desengage da Poppy e Lee aumenta, e o potencial de kill sobe muito por conta do combo de habilidades, enquanto se torna cada vez mais complicado para o Kha’Zix gankar a Poppy e ainda mais dar counter gank.

Ou seja. Antes do nível 6 o potencial de kill é todo para o Galio Kha’Zix, tendo que tomar cuidado com counter ganks e evitando trocas 2×2. A partir do nível 6 a situação inverte.

A situação acima demonstra como um lane que deveria ser monótona é bem mais complexa do que aparenta. Os junglers tem influência direta nas trocas e em como as lanes vão se portar. Ou ao menos deveriam.

Agora nós vamos trabalhar os princípios que regem as Match Ups

Qual a importância dos princípios das Match Ups?

“1. Quem tem o Push? (quem empurra a rota mais fácil)”

Definitivamente matar é uma das coisas que menos importa quando falamos de League of Legends em alto nível. O que nós visamos aqui são rotações, pressão de mapa e objetivos.

Rotations
MonteCristo sobre Rotações

No começo do jogo isso é tão relevante porque o First Brick é um grande objetivo. E, com mais pressão de rota, temos mais chances de bater na torre.

Outro ponto, no entanto, diz respeito a forma como isso evolui para o jogo. O objetivo inicial é bom, dá gold e mapa, permite rotações. É ótimo. Mas, deixando o Early Game de lado, qual a vantagem de ter o Push?

Simples, quem tem o Push, controla a rota. Você pode até não vencer mais a troca nesse ponto do jogo, mas seu Push ser melhor que o do inimigo, te permite decidir onde a rota vai estar, o que te dá liberdade para trabalhar o mapa.

É o caso do Trundle e Poppy, onde o Trundle não ganha mais a troca ao chegar no Late Game, mas ele pode ignorar a Poppy e bater na torre.

Por fim, esse é o motivo pelo qual Mage Controlers são tão fortes. Eles controlam bem demais a rota e conseguem pressionar o inimigo durante todo o jogo.

No entanto, o Push sofre influência direta do segundo princípio.

“2. Quem vence a troca a curto prazo? E a longo?”

O grande problema aqui é que se você perde a troca, você não pode puxar. Esse é o caso do Rumble vs Fizz ou Syndra vs Fizz e de lanes como Sivir Sona vs Draven Leona.

Todos os primeiros tem o Push melhor, mas perdem as trocas. Logo, são pressionados e forçados jogar recuados, ou se arriscando a receber uma iniciação do oponente.

Para saber quem tem vantagem nas trocas, procure entender quais são as habilidades essenciais de cada personagem. E assim, ter como comparar os counters e entender como eles funcionam.

Exemplo: Poppy x Camille, onde a Poppy é counter por parar a movimentação da Camille. Morgana x Thresh, onde a Morgana é counter por impedir a Sentença do Thresh com seu escudo.

Algumas vezes, no entanto, o curto prazo não é suficiente para descrever o desenvolvimento da Lane, porque a longo prazo há algum desbalanceamento. Isso acontece principalmente por conta da quantidade de sustain que um lado vai ter em relação ao outro.

Ah, bom lembrar, Sustain de terceiros ou próprio, ativo, passivo e até comprado na loja contam, ok? Nada de achar que só Nami e Soraka tem sustain. Renekton, Gragas e Morgana são outros exemplos.

E vamos para o próximo.

“3. Quem tem pressão de kill?”

A pressão de kill, muitas vezes vai esta associada a um Hard CC ou Burts. Normalmente campeões que tem vantagem em trocas de curta duração tem pressão de Kill, mas isso não é necessariamente verdade.

Em uma lane Draven + Nami vs Caitlyn + Karma, o Draven vai ser muito pressionado por perder trocas constantemente, mas não existe pressão de Kill. No pior dos casos o Draven e a Nami voltam base.

A situação, no entanto, já não é a mesma se a Karma for trocada por uma Zyra. Nesse caso, a partir do nível 6 passa a existir uma pressão de kill realmente grande por parte do combo de habilidades entre a Caitlyn + Zyra.

Outro caso era o combo Mazahar + Ashe ou Syndra + Elise. São combos de Hard CC seguido de grande quantidade de dano pelos campeões, possibilitando as Kills.

Mas fica ligado porque a pressão de Kill pode não se traduzir em pressão de rota ou mesmo pressão de troca, como no caso de uma Ahri, que não tem nenhuma pressão sobre uma Syndra. Mas, existe pressão de kill por conta do charme.

E finalmente, vamos às perguntas!

Como responder às perguntas de maneira correta?

“1. Quem tem mais habilidades de dano em área?”

O lado com mais habilidades de dano em área vai ter o Push, quase sempre. Isso só não acontece se esse lado sofrer pressão de kill ou perder as trocas a curto prazo.

Por isso lanes como Lulu e Caitlyn são tão seguras. Não sofrem pressão de troca ou kills e tem um push muito forte.

“2. Alguém tem Sustain?”

Ter ou não sustain vai ajudar a responder quem vai ganhar as trocas a longo prazo. Muitos campeões podem perder uma troca rápida, como uma Nami em um Nami vs Zyra, mas o tempo permite a ela repor a vida perdida com seu W, enquanto a Zyra depende apenas de poções.

E esse é um dos motivos pelo qual Renekton se torna um personagem tão bom no top. Ele é seguro, forte e não sofre com as trocas por ter um bom sustain. É uma rota segura.

“3. Qual a forma de dano dos campeões?”

Ataques básicos, Magias, Habilidades de Dano Físico, Habilidades Targetadas. Como os personagens dão dano?

Quer saber se vai vencer ou perder trocas, precisa saber responder isso. Por exemplo, magos vão costumar perder para bruisers que tenham sustain. Por que?

Porque magos ou burstam, ou matam aos poucos. Sendo que nenhuma das duas coisas vão funcionar com os bruisers, como Renekton ou Darius, depois de um certo tempo de jogo.

O mesmo vale para entender a Match Up de Irelia vs Jax. Todo o dano da Irelia vem de ataques básicos. Se o Jax ligar o Dodge, ela já perdeu todo o potencial de troca que tinha.

Procure entender qual a forma de dano dos personagens, isso é essencial para enter como eles vão serão as trocas na lane.

E falando em essencial…

4. Quais as habilidades essenciais?

As habilidades essenciais são aquelas que, se o campeão não acertar, ele não consegue impactar o jogo. Bons exemplos são Morgana, Blitz e Thresh errando o Q. Orianna errando a Ult. Syndra errando o E.

São habilidades que sendo mal utilizadas podem fazer muita falta e quando são counteradas, podem significar a morte. No caso da Syndra, é o que acontece caso ela erre o E, isso por ela não ter habilidades de movimentação.

Quando encontrar um campeão que consiga quebrar a habilidade essencial de outro, você tem um counter. Como é caso do Jax x Irelia, onde o W da Irelia é a maior fonte de dano dela e girando o bastão ele consegue anular completamente.

O mesmo acontece com a Morgana usando o Escudo Negro para parar a sentença e com a Poppy parando o pulo da Camille ou Zac.

“5. Alguém tem Burst?”

A capacidade de matar um adversário vai estar necessariamente ligada ao Burst ou ao Hard CC.

O Burst nada mais é do que uma habilidade capaz de causar muito dano em poucos segundos. “Olá, Syndra, é de você que estamos falando.”

A Syndra, apesar de ter um Hard CC, com o seu E, se destaca pelo Burst que ela é capaz de causar nos adversários, matando inimigos desprevenidos que fiquem com pouca vida.

Esse é o mesmo caso do Kha’Zix, que não tem CC, mas com muito dano e boa movimentação, consegue impor pressão de kill.

“6. Alguém tem CC?”

Por fim, o HardCC é a última grande arma para garantir a pressão de Kill. Ela vai ser a arma de personagens que tem dificuldade de vencer a troca naturalmente, e precisam usar algum subterfúgio para ter vantagem.

Bons exemplos que temos disso são Varus e Ashe na bot lane, assim como Malzahar, que foi muito escolhido após ser nerfado apenas pelo CC de sua ult.

Para Jungles e todos os outros

Digo para Jungles e todos os outros porque, apesar dos jungles se beneficiarem um pouco mais, todos os jogadores devem saber disso. Noção de jogo nunca é demais.

Entender as Match Ups permite saber como cada lane vai se comportar, e isso é essencial para se ter um bom início de jogo como Jungle. Só entendendo o funcionamento das Lanes é que vai ser possível traçar um plano de jogo conciso, sabendo onde e quando vai precisar aparecer em alguma lane e qual a melhor forma de fazer isso.

É o que diferencia os jogadores que estão fora do automático, dos jogadores que estão no automático.

Jogadores que estão no automático muitas vezes tem até habilidade, são capazes de fazer boas jogadas e entendem bem da posição. No entanto, não executam bem suas funções e acabam perdendo por focarem nos lugares errados, não conseguirem encontrar suas condições de vitória e acabarem perdidos dentro do jogo.

Portanto, pense bem a respeito das Match Ups, de preferência enquanto estiver na tela de carregamento. E, sempre vá se atualizando conforme a partida for desenrolando, porque as elas evoluem com o jogo.

Conclusão

Lembre-se, tudo o que foi dito aqui precisa ser avaliado e reavaliado a todo momento dentro do jogo. Se não for assim, pode não ter efeito.

Esse foi um texto longo e um tanto mais complexo do que eu gostaria que tivesse sido, mas é impossível simplificar mais do que isso. O assunto em si não é complicado, mas é preciso atenção e estar atento aos jogos.

Quanto mais nos acostumamos a lidar com as Match Ups, mais natural isso se torna. Hoje, não preciso de mais que 5 segundos para encontrar todos os pontos positivos e negativos de quase qualquer Match Up dentro LoL. No entanto, isso é fruto de muito, muito trabalho.

Mas, qualquer jogador realmente dedicado, aprende isso facilmente, então tudo depende da sua dedicação, do quanto você vai estar disposto a se esforçar.

Por fim, espero que tenha gostado e que este texto tenha te ajudado!

São 06:26 e quem já está no automático escrevendo sou eu.

Então, um abraço!

Heye

Guilheme “Heye” Thompson é coach há mais de 2 anos e já trabalhou em equipes de todos os níveis. Depois de dar uma pausa na carreira, criou o Escola de Invocadores, onde administra e cria conteúdo para jogadores que queiram melhorar no Summuner’s Rift.

5 thoughts on “Desvende os Counters – Análise de Match Ups

  1. Recentemente tenho visto bastante gameplays de Talyah, ela é um mage controller né ? vale a pena comprar ? já que ela nunca entra na free weak pra testar.

    1. Alias, isso de quem tem push, já me faz entrar na lane contra syndra já forçando usar o seu E
      Parece que no low elo Kassadin assusta bastante.

      1. Hahaha, Kassadin é um campeão muito forte, mas difícil de usar.

        A Taliyah é um Mage Controller sim! Ela é muito forte, então vale a pena comprar, mas você tem que tomar cuidado, porque jogar bem com ela é muito difícil. O nível de maestria é um dos mais altos do mid e pra isso você precisa jogar bastante com ela.

        Ults erradas podem atrapalhar mais do que ajudar. Mas se você treinar bastante, vai se sair bem.

        Abraço!

  2. Amigão, post maravilhoso.
    Eu estou disposto a me esforçar para aprender ainda mais.
    Tem planos de mais posts analisando match ups específicas de cada lane?
    Ou sugestão de outros lugares que eu consiga mais exemplos de campeões com comentários como os seus.
    Muito bacana.

    1. Opa, amigo, muito obrigado!

      Então, eu tenho planos sim, mas são muitas possibilidades e meu tempo é um pouco curto. Vou trazer mais publicações a respeito disso conforme o tempo for passando. Tento escutar o que vocês pedem na hora de produzir conteúdo.

      Já análises de campeões assim, é bem complicado, eu não conheço outras pessoas que façam esse tipo de conteúdo, e esse foi um dos motivos para eu criar o Escola de Invocadores.

      Sei que existem canais como Boteco Gamer e o Ucla, mas não acompanho seus conteúdos e não sei dizer se são de qualidade. Mas, dentro de pouco, vamos começar a fazer vídeos do Escola de Invocadores também, então fica ligado que vai ter bastante conteúdo novo.

      Espero ter ajudado, amigo, e obrigado pelo feedback!

      Abraço!

Comments are closed.